Terapia ocupacional no âmbito escolar

O terapeuta ocupacional é o profissional que detém formação nas áreas da saúde e do social. A intervenção proposta e executada pelos profissionais devidamente formados em Terapia Ocupacional é bastante ampla e aborda várias habilidades, como “condutas fundamentadas em critérios avaliativos com eixo referencial pessoal, familiar, coletivo e social; coordenadas de acordo com o processo terapêutico implementado”.

Além de atuarem em diversos ambientes, os terapeutas ocupacionais são responsáveis por um protagonismo interessante nas escolas. Tudo isso se deve ao fato desses profissionais terem o conhecimento necessário para lidar com os desafios trazidos pelas crianças à sala de aula, principalmente no que se refere ao processo de aprendizagem.

Sendo assim, o terapeuta ocupacional contribui imensamente com o desenvolvimento dos estudantes no contexto educacional; seja por meio de uma intervenção pontual que priorize a coordenação motora ou de exercícios que trabalhem com um conjunto maior.

A participação desses especialistas é de total importância para a vida de estudantes que necessitam de alguma ajuda no aspecto escolar. No entanto, trata-se de algo mais direcionado para questões que envolvam a inclusão motivada por transtornos de coordenação motora, disfunção neuromotora, processamento sensorial ou múltipla deficiências.

O papel do terapeuta ocupacional está na capacidade do profissional de oferecer as coordenadas ao aluno através de atividades que estimulem as faculdades do corpo com o processo de aprendizagem. Um exemplo a ser dado é o fato de as crianças descobrirem suas habilidades por meio de brincadeiras. Elas servem, então, de ferramentas que incentivam o desenvolvimento e o aprendizado da criança.

Além disso, o terapeuta ocupacional pode utilizar tais tarefas para trabalhar os seguintes aspectos sensoriais: visual, audição e tátil (imprescindíveis para o conhecimento da criança, sem contar com a possibilidade da construção de conceitos importantes para sua formação: espaço, tempo, cor, profundidade, etc.)

O terapeuta ocupacional tem desempenhado função primordial possibilitando a pessoas com alguma dificuldade / limitação acesso a educação, pois acredita que a principal oportunidade do indivíduo desenvolver aspectos intelectuais, sociais, emocionais e físicos é por meio da participação nos espaços educacionais.

A Terapia Ocupacional desenvolve, treina e capacita alunos e professores para o uso de tecnologia assistiva que são produtos e instrumentos, equipamentos ou tecnologias adaptadas ou especialmente projetadas para melhorar a funcionalidade da pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.

É pratica do terapeuta ocupacional a adaptação de mobiliário, prescrição e adaptação de cadeiras de rodas, de cadeiras de sala de aula adequadas, de material escolar específico como: engrossadores de lápis, tesoura adaptada, quadro imantado, adaptação de materiais como quebra-cabeça, jogos infantis, etc.

As interações entre o aluno e os materiais, entre o aluno e o professor, entre o aluno e os demais alunos da sala e da escola podem estar comprometidas em função da falta de acessibilidade arquitetônica, falta de adaptação de materiais didáticos e também devido a barreiras atitudinais, que são os comportamentos e atitudes de outras pessoas que dificultam a inclusão social.

O terapeuta ocupacional atua também com alunos com distúrbios e dificuldades de aprendizagem que muitas vezes apresentam alterações na coordenação motora fina, lentidão para copia e execução de tarefas escolares, dificuldades de orientação espacial e temporal, dificuldades de raciocínio e compreensão.

O terapeuta ocupacional não desempenha seu trabalho somente com pessoas com deficiência ou dificuldades de aprendizagem, seu objetivo também pode ser: grupos para profissionais da escola visando colaborar com a maneira do professor lidar com as diferenças, colaborar com a organização das atividades pedagógicas por meio de adaptações adequadas, treinamentos sobre comunicação alternativa, acessibilidade e com sugestões da organização de espaços no contexto escolar.

A parceria terapeuta ocupacional x professor merece bastante atenção, pois um precisa do outro de forma significativa. Ambos podem trabalhar com o aprimoramento de habilidades que refletem na vida acadêmica do aluno, como a coordenação grafomotora, por exemplo. Por meio de atividades lúdicas e pedagógicas, o protagonismo dos dois profissionais tende a promover a evolução do aluno e o acesso a uma qualidade de vida muito melhor.